sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Crítica: Larry Crowne - O Amor Está de Volta | Um Filme de Tom Hanks (2011)


O mercado de trabalho pode muitas vezes ser injusto com os trabalhadores. Larry Crowne (Tom Hanks) era um impecável líder num hipermercado desde a época que se afastou da função de marinheiro. Confiável, competente e bem-visto por seus subordinados, ele foi surpreendido com a negativa notícia de sua demissão por causa de não ter formação universitária. Passando por dificuldades financeiras e encontrando obstáculos em sua recolocação no mercado de trabalho, Larry decide voltar a estudar ingressando num curso universitário onde acaba conhecendo a professora de oratória, Mercedes Tainot (Julia Roberts), uma mulher desiludida com o casamento e sua profissão. Se antes ele tinha todos os motivos do mundo para acreditar que sua vida estaria completamente estagnada e seu futuro definido sem grandes surpresas, é nesse recomeço que Larry irá aprender novas e inesperadas lições. "Larry Crowne - O Amor Está de Volta" (Larry Crowne, 2011) é uma produção estadunidense do gênero comédia romântica escrita por Nia Vardalos e Tom Hanks, onde Hanks também assume a direção do filme como protagoniza o longa-metragem ao lado de Julia Roberts. Com alguma experiência atrás das câmeras por alguns trabalhos de direção para a TV e um longa-metragem de 1996 (The Wonders - O Sonho Não Acabou), Tom Hanks abraça com segurança sua história e entrega um filme essencialmente simples e despretensioso para o gênero das comédias românticas que pode agradar ou não, dependendo das expectativas do espectador.

"Larry Crowne - O Amor Está de Volta" está longe de ser a reinvenção da roda e se apoia unicamente no carisma dos espectadores por seus protagonistas. E que dupla de protagonistas, diga-se de passagem. Tanto  Tom Hanks quanto Julia Roberts são figuras capazes de arrastar multidões aos cinemas sem grande esforço, embora não tenham angariado novos fãs na mesma proporção do passado. Assim sendo, mesmo com dois grandes nomes de Hollywood ligados ao filme, o resultado carece de um pouco de ousadia e arrojo, seja na trama em si ou na forma convencional com que é apresentada. Ao amontoar uma infinidade de clichês comuns aos filmes do gênero (o que é quase impossível de não nos fazer lembrar de outros filmes curiosamente estrelados por eles), Hanks entrega um filme muito simplório e previsível que demora um pouco para se desenrolar devido ao ritmo lento e sua busca por sorrisos fáceis em um enredo excessivamente romanceado (histórias de perdedores que conseguiram dar a volta por cima já tiveram outras transposições muito mais interessantes no cinema do que essa). E se ainda que tenha suas qualidades (boa trilha sonora, um elenco de apoio competente e algumas ideias simpáticas encrustadas no roteiro), essas mesmas não rivalizam com as pontas soltas dos contornos dessa produção. Considerando que o trabalho de Hanks se mostra uma proposta de continuidade competente ao que dá certo sem se colocar sob riscos desnecessários, seus méritos também podem se voltar contra ele. O doce de sua proposta também pode se tornar enjoativo. Por isso, Larry Crowne - O Amor Está de Volta" é um daqueles filmes de entretenimento que nos fazem sentir-se bem, nos trás alguma agradável felicidade de momento, mas que não nos confere saudade a longo prazo.

Nota:  6/10
____________________________________________________________________________

2 comentários:

  1. O ponto alto é química da dupla principal.

    O roteiro é fraco, os diálogos não convencem e os coadjuvantes caricatos.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente é na dupla de protagonistas que mora as maiores qualidades dessa comédia. De resto, sobra pouco que se aproveita.

      abraço

      Excluir