sexta-feira, 4 de abril de 2014

Crítica: Amor Bandido | Um Filme de Jeff Nichols (2012)


Dois jovens aventureiros, os adolescentes Ellis (Tye Sheridan) e Neckbone (Jacob Lofland) são grandes amigos que dividem o gosto pela aventura e a exploração.  Ao navegarem pelas águas do Rio Mississipi em uma curiosa jornada de exploração, os dois encontram em uma ilha deserta um barco danificado que está abandonado estranhamente sobre o topo de uma enorme árvore. Embora o barco aparentasse um completo abandono, na verdade ele serve de um conveniente abrigo ao misterioso Mud (Matthew McConaughey), um foragido da polícia que tem utilizado a ilha como esconderijo após ter cometido um assassinato. Desenvolvendo um pacto de cumplicidade com os dois adolescentes, Ellis e Neckbone passam a ajudar Mud restaurando o barco para sair da ilha antes que as autoridades e um perigoso caçador de recompensas o encontrem, além de reencontrar sua amada, Juniper (Reese Whiterspoon) uma bela mulher que se envolveu com as pessoas erradas. “Amor Bandido” (Mud, 2012) é um drama escrito e dirigido por Jeff Nichols (responsável pelo excelente O Abrigo, de 2011) que traz com habilidade para tela uma notável história detentora de emocionantes e expressivas atuações de um inspirado elenco juvenil que não perde em nada para o experiente ator vencedor do Oscar de Melhor de Ator de 2014 (Matthew McConaughey).

É fácil entender porque McConaughey ganhou o Oscar de Melhor Ator por sua atuação em “Clube de Compras Dallas”. Observando com atenção seus últimos trabalhos (Killer Joe - Matador de Aluguel, Bernie, O Poder e a Lei; todos de 2011) o reconhecimento era inevitável, considerando todavia o número de produções esquecíveis (leia-se comédias românticas) que marcaram sua trajetória inicial em Hollywood. McConaughey demonstra estar bem a vontade em seu papel de fugitivo apaixonado (que justifica a escolha desse desprezível título nacional). A atuação de McConaughey se mostra mais do que competente, fazendo com que o rumo de sua carreira seja uma experiência mais do que grata. Porém o brilhantismo desse longa na verdade se encontra principalmente nas interpretações dos jovens (principalmente de Tye Sheridan, que promete muito para o futuro) que possuem várias subtramas bem verdadeiras de um cotidiano real envolvendo seus personagens.  Os dois jovens materializam com talento o ar de dúvida sobre o personagem de McConaughey, ao mesmo tempo em que transpareçam a certa altura nuances de devoção sobre sua figura. Se sua história não se mostre totalmente original, a forma como ela se desenvolve e como é apresentada nos sons e nas cores faz de "Amor Bandido" uma realização bem feita em vários aspectos. A relação de amizade desenvolvida entre Mud e Ellis, contada por Jeff Nichols, que disseca ambas as personalidades é o grande atrativo desse longa, mesmo que ainda haja nomes de peso como Sam Shepard, Reese Witherspoon e Michael Shannon no elenco. Em resumo, "Amor Bandido" é um grande filme de amadurecimento que merece ser descoberto.

Nota:  8/10
_____________________________________________________________________________

2 comentários:

  1. Opa, já tinha ouvido falar desse filme, mas não sabia bem do que se tratava! Adicionei a minha lista de filmes para ver. rs

    O McConaughey tem feito grandes filmes mesmo, assim como você citou. E pelo seu texto, esse parece que se enquadra nesse quesito!

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que assista e goste tanto quanto eu gostei. Gosto dessa nova fase do ator que tirando algumas aventuras de sessão da tarde que fez no passado, pouca coisa me empolgou. Tenha um bom divertimento!

      abraço

      Excluir