quarta-feira, 2 de abril de 2014

Crítica: Invocação do Mal | Um Filme de James Wan (2013)


No ano de 1971, a família Perron decide mudar-se para uma fazenda que existe a mais de 150 anos na cidade de Harrysville (Rhode island). Mas logo após sua chegada em seu novo lar, o pai Roger Perron (Ron Livingston), a mãe Carolyn Perron (Lili Taylor) e suas cinco filhas começam a ver coisas estranhas acontecendo na casa devido a presença de espíritos malignos. Forçados a buscar ajuda, eles contratam um casal de investigadores paranormais, os demonologistas Ed (Patrick Wilson) e Louraine Warren (Vera Farmiga) que encontram no combate a essas entidades sinistras o maior desafio de suas vidas. Baseado em fatos reais, "Invocação do Mal" (The Conjuring, 2013) pode ser encarado a primeira vista, como sendo mais um filme de terror ambientado em uma casa mal-assombrada como tantos outros. Mas ele se diferencia largamente de seus antecessores em função  de uma condução magistral que equilibra bem os típicos sustos necessários ao gênero com uma atmosfera de suspense brilhantemente angustiante. Dirigido por James Wan (Jogos Mortais) e escrito pelos irmãos Chad Hayes e Carey Hayes, independente do uso excessivo de clichês ligados a esse gênero, seus realizadores entregam um longa acima da média apenas por saber manuseá-los com habilidade, além de conferir um toque autoral ao longa que foge um pouco de uma filmagem convencional cada vez mais presente em produções desse segmento.
Além das soluções criativas encontradas por James Wan para transportar o espectador para o interior dos cômodos apertados da casa, que resultam numa mistura de medo e expectativa fantástica, o elenco (principalmente o feminino composto pela Vera Farmiga e Lili Taylor) entregam interpretações extremamente naturais que fecham com a proposta oferecida pelo cineasta malaio James Wan, um constante realizador de filmes de terror. Realizador do perturbador "Jogos Mortais" (2004) que acabou virando uma extensa cinessérie de qualidade variável, James Wan é inclusive responsável pelo fenomenal longa-metragem "Sobrenatural", filme de suspense e terror realizado em 2010 e sua sequência que estreou em 2013. Em sua trama, sem se prendendo necessariamente aos fatos ocorridos realmente (embora enfatize esse aspecto como modo de fazer o marketing da produção funcionar), é certo que o roteiro se mostre bem ajustado, como é certo que o brilhantismo desse longa se encontre na forma como foi executado seu desenvolvimento. O casal de demonologistas também são curiosamente os que estavam envolvidos no evento de Amytiville, que inclusive gerou um filme em 1979 e um remake em 2005. Por fim, sem apresentar banhos de sangue apelativos, "Invocação do Mal" se mostrou um grande filme no gênero do terror em 2013 que merece ser descoberto o mais breve possível, como no futuro será um forte candidato a ser revisitado.

Nota:  8/10
_____________________________________________________________________________

6 comentários:

  1. É um bom filme mesmo, só que achei o final meio sem graça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faltou um final daquele tipo de deixar o espectador boquiaberto como em "Jogos Mortais", não acha? Seria o máximo...

      abraço

      Excluir
  2. Exato, esse "happy ending" do The Conjuring me deixou chateado, acho que por estar com a expectativa alta.

    Só não superou o final de The awakening (no quesito me deixar descepicionado).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse eu não assisti... apesar de ter esbarrado com esse filme algumas vezes. Ainda tenho curiosidade em ver.

      abraço

      Excluir
  3. Respostas
    1. Que bom que gostou. A maioria prefere este ao "Annabelle" (filme ao qual você resenhou). Gostei dos dois, e até estou devendo uma resenha sobre ele também.

      Bjus

      Excluir