segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Resenha: Afro Samurai: Ressurection | Uma Animação de Fuminori Kizaki (2008)


Afro Samurai é um personagem de mangá japonês criado por Takashi Okazaki em 1999 sobre a cruzada de vingança de um garotinho que testemunha a morte de seu pai em um duelo por uma lendária bandana. A busca pela bandana número e o desejo de vingança são o combustível motor do enredo dessa animação que se passa em um Japão Feudal futurístico pós-apocalíptico. Originalmente oriundo das revistas em quadrinhos, o personagem ganhou uma adaptação para anime dividida em 5 episódios dirigidos por Fuminori Kizaki que foram lançados em 2007 e foram um grande sucesso de audiência em emissoras de televisão paga pelo mundo. Sua sequência (Afro Samurai: Ressurection, 2008) é a confirmação do potencial do personagem e da elegância de sua estética. Como em sua origem, o material Fuminori Kizaki é direcionado ao público adulto, já que aborda temas maduros e se utiliza narrativa que transborda violência explicita, ainda que coreografada.

Em sua trama acompanhamos acontecimentos posteriores ao término da série televisionada, onde que quando criança, Afro testemunha a morte do pai por um pistoleiro chamado Justice (dublado por Ron Pearlman), que decepa a cabeça de seu pai e se apodera do poder e do status que a bandana número um confere. Mas a regra é a seguinte: o único guerreiro que pode desafiar o detentor da bandana número um é aquele que detêm a bandana número dois, ao mesmo tempo em que todos podem desafiar aquele que possui a bandana número dois. Com a bandana recuperada Afro já adulto é surpreendido por plano de vingança de antigos conhecidos. Sem a bandana número um, também tem que recuperar a cabeça de seu pai que foi desenterrada e roubada possa ter descanso da alma. Assim Afro parte em uma jornada de resgate, junto com seu amigo imaginário Ninja Ninja, que será banhada de muito sangue e dilacerações que destruirá qualquer resquício do Clã dos Sete Vazios e deixará um rastro de morte e mais vingança para trás.

Com o personagem título sendo dublado por ninguém menos do que Samuel L. Jackson, a animação ganha contornos surpreendentes. Mostra a reverencia do astro, e proporciona uma sonoridade instigante ao personagem. Além disso, a trilha sonora de responsabilidade de RZA acentua toda a ação do filme e enfatiza os momentos de dramaticidade que marcam essa produção com canções fantásticas de hip hop e new age bem antenadas com a proposta oferecida. Para quem aprecia animações japonesas direcionadas a um público mais maduro, avesso a censuras, “Afro Samurai: Ressurection” é um excelente programa de um anti-herói sem medidas. Esteticamente genial e violento, Afro não fala muito, mas mesmo tendo pouco a dizer e mostrando muita atitude, louvável ou não, a sua existência é grata.

Nota: 8/10
____________________________________________________________________________

2 comentários:

  1. Nossa, bem diferente, né?!
    Você também curte HQ`s???

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto das animações japonesas baseadas em mangás (pelo menos as direcionadas ao público adulto). Particularmente sou fã de Alucard, personagem de "Hellsing". Nunca vi a revista, mas assisti todos os episódios da animação inúmeras vezes. Comprava fielmente os exemplares de "Spawn" de Todd McFarlane, mas hoje em dia tenho ficado afastado desse fascinante universo por diferentes razões. Uma pena....

      abraço

      Excluir