sábado, 16 de março de 2013

Crítica: Firewall - Segurança em Risco | Um Filme de Richard Loncraine (2006)


Jack Stanfield (Harrison Ford) é um especialista em segurança de computadores que trabalha no Landrock Pacific Bank. Jack é um executivo que construiu uma carreira sólida desenvolvendo sistemas anti-fraude para o ramo bancário. Casado com Beth (Virginia Madsen) e pai de dois filhos, Jack nunca imaginou que a maior vulnerabilidade de seus infalíveis sistemas de segurança possa ser ele mesmo. Com sua vida particular sendo acompanhada a semanas por criminosos, Bill Cox (Paul Bettany), um ambicioso criminoso sequestra sua família e força-o a possibilitar uma fraude bancária de 100 milhões, na qual Bill jamais seria acusado e Jack levaria toda a culpa. Assim Jack terá que usar toda sua coragem, e acima de tudo, sua inteligência para salvar sua família e impedir que os verdadeiros criminosos desse roubo milionário tenham sucesso. "Firewall - Segurança em Risco" (Firewall, 2006)  é um interessante thriller dramático dirigido por Richard Loncraine. Longe de ser memorável dentro da carreira do astro Harrison Ford, não deixa de ser interessante pelo uso prático das inovações da tecnologia aplicadas pelo protagonista para salvar sua família. Por quê? Muitas vezes temos uma infinidade de recursos tecnológicos a nossa disposição, mas usados de forma limitada e com pouca criatividade. 


Se a história de "Firewall" se mostra exagerada e por vezes inverossímil (típica de um produto enlatado), e os momentos que buscam desencadear alguma tensão no espectador soem de pouca expressividade, nós temos aqui uma história ligeiramente interessante (pela aplicação prática da tecnologia) mostrando que Harrison Ford tem condições de sobra para sustentar um longa-metragem com poucas novidades e uma trama que carece de fluência no gênero no qual habita. É sempre uma grata surpresa vê-lo salvando o dia como o herói. Como também Paul Bettany tem o perfil de um vilão temeroso até quando o roteiro não ajuda. O sequestro é conduzido de forma burocrática e sem nenhuma inovação narrativa ou atrativos estéticos. A trilha funciona na climatização do suspense, quando há suspense nos acontecimentos, já que grande parte do longa se mostra previsível e ajustado ao formato em que foi concebido. Por isso "Firewall - Segurança em Risco" funciona mais como um simples entretenimento escapista, do que propriamente como suspense intrigante. Serve para passar o tempo e divertir, mas corre o risco de cair em desagrado ao gosto de muitos. Se vai ou não agradar ao espectador, depende de suas expectativas em relação a premissa do filme. Só sei que poderia render muito mais.

Nota: 5,5/10 
____________________________________________________________________________

2 comentários:

  1. Divertido e totalmente descartável.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão. Diverte sem se fazer relevante na vida de ninguém.

      abraço

      Excluir