domingo, 10 de fevereiro de 2013

Crítica: Dia de Treinamento | Um Filme de Antoine Fuqua (2001)


Essa produção rendeu o primeiro Oscar de melhor ator a Denzel Washington, e uma indicação de melhor ator coadjuvante a Ethan Hawke. Entretanto, mesmo que esse exemplar filme policial tenha marcado presença em tão distinta premiação, isso não quer dizer que "Dia de Treinamento" (Training Day, 2001) esteja acima de qualquer suspeita. Por sua vez, suas melhores qualidades consistem justamente na interpretação premiada de Denzel Washington e no esforço de Ethan Hawke em cumprir com a promessa de se tornar um astro em Hollywood. De resto, temos uma produção bem realizada por Antoine Fuqua - talvez seu trabalho mais autoral - e mais nada. Na história acompanhamos de perto Alonzo Harris (Denzel Washington), que é um agente veterano da narcóticos e líder de um grupo de agentes que trabalham na cidade de Los Angeles lutando contra o tráfico de drogas. Seu grupo tem uma vaga em aberto que precisa ser preenchida a qualquer um que se habilite. Nesse caso, Jake (Ethan Hawke), um jovem e ambicioso policial de trânsito tem como objetivo maior fazer parte desse grupo liderado por Harris. Quando consegue a oportunidade de preencher a tão famigerada vaga, o novato precisa passar por um dia de treino sob o olhar e comportamento   nada ortodoxo de seu treinador, para a comprovação de suas habilidades para a ambicionada função. Contudo, Jake será apresentado ao mundo do crime de Los Angeles , repleto de esquemas corruptos, revelações sujas e um senso de justiça distorcido de seu mentor.


Apesar de estar longe de ser memorável, trata-se de um longa tecnicamente bem realizado, conduzido com firmeza, com atuações convincentes, e uma trama envolvente dentro do possível. É uma produção inegavelmente criada para o entretenimento. O roteiro aborda de forma competente o comportamento de autoridades que se utilizam de meios ilegais para cumprir a lei. Enquanto Jake exibe um personagem essencialmente puro, apesar de cercado da putridez do mundo do crime, Harris é a materialização crua de um homem corrupto que se utiliza da maquina da justiça a seu favor, cético de que seus atos são justificados. Como diria aquele velho ditado: "os fins justificam os meios". E o uso de visões de justiça diferenciadas, rendem cenas empolgantes dentro de um enredo socialmente delicado onde o submundo da justiça serve como pano de fundo. Passagens como a que Ethan Hawke está prestes a ser executado numa banheira por um bando de marginais latinos, resultado da traição de Alonzo, e o destino dá uma guinada no desfecho dessa sequência de forma inusitada, é um bom exemplo do quanto o roteiro pode ser engenhoso apesar de estar permeado de clichês do gênero. Entre códigos de justiça deturbados e derradeiras traições, ambos atores brindam o espectador com interpretações brilhantes e ligeiramente inspiradas. Por fim, "Dia de Treinamento" é um filme policial interessante e divertido. Particularmente a atuação de Denzel Washington é um espetáculo, de premiação mais do que merecida, e que é justo afirmar, que sua competência se faz presente até lendo a lista telefônica tamanha sua capacidade de erguer qualquer personagem a um patamar de excelência único.

Nota: 7/10   


Nenhum comentário:

Postar um comentário