quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Crítica: Predador 2 – A Caçada Continua | Um Filme de Stephen Hopkins (1990)



O Predador é um personagem multimídia, vinculado a vários meios de entretenimento – HQs, jogos, curtas-metragens e filmes. E foi no cinema onde ele delimitou seu maior território, deixando seu nome conhecido entre vários ícones da cultura POP – Robocop, Alien e Exterminador do Futuro - que inclusive onde até um deles dividiu espaço com ele no cinema no que seria um confronto épico só de imaginar a premissa. Depois de um grande sucesso na telona com o primeiro filme de ação e suspense com ambientação de guerra na selva veio inevitavelmente uma seqüência tão boa quanto à original, diferenciando-se apenas pela locação urbana. Mesmo não tendo o carisma de seu antecessor chamado Predador - que havia sido protagonizado pelo astro Arnold Schwarzenegger em sua ascensão ao estrelato - o filme "Predador 2 – A Caçada Continua" (Predator 2, 1990) tem se mantido perfeitamente na minha lista de sequências bem realizadas, tanto que comprei um DVD do titulo assim que coloquei os olhos nele na prateleira da loja – original, por R$ 9,99, direto das Lojas Americanas com direito a nota fiscal que por sinal virou papel de anotação de telefone por improviso assim que chegou a minha casa. Com impostos pagos e DVD em mãos, matei a saudade, e desfrutei da nostalgia de rever um sucesso da época em que a indústria não era tão intensa quanto hoje em si tratando de grandes lançamentos. A maior qualidade desse filme para mim, talvez nem seja ele necessariamente, mas por ter sido infelizmente, na realidade um marco precoce do fim de uma franquia promissora. As sequências geradas posteriormente com o personagem-título tiveram uma abordagem excessivamente convencional e pouco audaciosa. Seus responsáveis mandaram para o espaço a característica marcante de “inovação” e não acrescentando nada ao personagem, acabaram estragando outro ícone da ficção cientifica no processo como aconteceu com o filme "Aliens vs Predador". Depois outros realizadores mais autorais conhecidos por sua irreverência acabaram fazendo uma ambientação selvagem futurista em menção ao primeiro filme por falta bússola e criatividade. 



Assim Predador 2 – A Caçada Continua ambientada em uma Los Angeles ardente por causa de uma guerra entre gangues rivais de traficantes de drogas, se faz o cenário perfeito para um predador alienígena invisível e silencioso. O calor e o conflito têm proporcionado as condições perfeitas para um caçador de pessoas.  A polícia começa a encontrar corpos despedaçados pela cidade e a procurar os responsáveis sem imaginar onde as pistas os levarão. O tenente Mike Harrigan (Danny Glover) passa a investigar as mortes junto com sua equipe de policiais mesmo com os obstáculos criados por um misterioso agente do governo (Gary Busey) que sabe mais do que diz saber. Os membros de sua equipe passam a ser mutilados um a um até quando Harrigan encontra-se cara a cara com o predador em um confronto fatal entre dois verdadeiros guerreiros de mundos diferentes.
Tendo na direção Stephen Hopkins (Perdidos no Espaço), o filme não ganha e nem perde coordenação em comparação ao anterior. A historia flui naturalmente em clima de ação e suspense sempre bem dividida pelos cortes. A poucos minutos do final há uma sutil menção ao filme Alien quando a câmera passa lentamente em uma sala de troféus dentro da nave espacial e pode-se ver o crânio de um Alien profetizando uma possível seqüência a respeito de confrontos passados com a criatura. O ator Danny Glover bem conhecido pela franquia Máquina Mortífera onde divide a tela com Mel Gibson em quatro filmes, interpreta o tenente Mike Harrigan da polícia de Los Angeles, protagonizando um policial durão e obstinado por justiça. O nome de Arnold Schwarzenegger nos créditos tem muito mais apelo do que o ator Danny Glover, porém o segundo tem uma interação mais complicada e ampla dentro contexto urbano deixando a empreitada mais aspirada. O primeiro tinha uma postura muito contemplativa da natureza dando espaço a simples divagações. Como no filme anterior, o restante do elenco bem desconhecido na época, exceto por Bill Paxton que encabeçou alguns longas anos depois como "Twister" que chegou a concorrer ao Oscar de efeitos visuais contra "Independecy Day" e "Coração de Dragão". A trilha sonora bem pontuada, feita pelo responsável e experiente Alan Silvestri faz toda diferença nos momentos de tensão, principalmente quando é posto na tela a perspectiva do alienígena diante de suas presas humanas. Os efeitos especiais, hoje bem ultrapassados devido aos avanços tecnológicos já alcançados - podendo até ser reproduzidos em casa com softwares apropriados por qualquer adolescente – eram eficientes na época cumprindo seu papel dentro da historia sem despertar protestos em primeira mão. Funcionavam tão bem como todo o resto, sendo apenas uma ferramenta e não o chamariz para um produto. Hoje com produções feitas com 80% em CGI não conseguem resultados tão promissores do que esse rebento nascido na década de 80, talvez porque a supervalorização do artificial de forma unitária não serve de compensação pelo conjunto da obra.

O Predador é um personagem bacana, uma espécie de vilão com código de ética instintivo tornando-o carismático, mesmo tendo uma aparência repugnante que choca quando encarada de perto. Sua atitude de repetir palavras ditas por suas presas parece uma necessidade primitiva de se comunicar transparecendo traços de lógica em sua cultura de caçador. Cultura de caça projetada sob medida para sua espécie pelos indícios de seu comportamento. Amparado por um armamento de caça hi-tech extremamente sofisticado e ao mesmo tempo retro, faz dele um adversário perigosíssimo. Minha maior lamentação é que depois do segundo filme ainda não houve uma seqüência a altura, que respeitasse e projetasse seu personagem novamente no rol da fama como merece. Hoje o Predador encontra-se no limbo como outros de seus conhecidos, no entanto, a expectativa de um remake de Robocop que inclusive será dirigida por um brasileiro, traz finalmente uma esperança para uma ressurreição mais enfática.    

Nota: 7,5/10

Confira o Trailer:




2 comentários:

  1. Olá Marcelo.

    Não conhecia seu blog, gostei!
    Voltarei outras vezes aqui. rs
    Estou seguindo.

    Predador 2,
    Eu concordo com você em sua opinião ao filme e ao que fizeram com o caçador espacial nas outras obras, apesar de ter gostado de "PREDADORES".
    Mas realmente falta algo significativo e bem feito para recolocar o personagem em evidência de novo.

    PS: os DVD's da Lojas Americanas estão comparcendo aui em casa, toda vez que eu vou lá acabo não resistindo e pegando algum.. à R$ 9,90. rs

    Grande abraço.

    André.

    http://umvortice.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá André

    Obrigado pela visita e agradecido quanto ao elogio relacionado ao blog. À propósito... quanto ao preço de R$ 9,90, tem razão .... bem observado! rsrss valeu mesmo a dica da errata. Certamente manterei contato.

    Abraço

    ResponderExcluir