sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Crítica: Jonah Hex – O Caçador de Recompensas | Um Filme de Jimmy Hayward (2010)



Esse longa é uma adaptação dos quadrinhos de faroeste da DC Comics de mesmo título, ao qual a Warner Bros., detentora dos direitos do personagem, depositou suas fichas depois dos inquestionáveis sucessos da franquia “Batman” realizada por Christopher Nolan, tinha a pretensão de pegar carona na boa fase do estúdio. Porém, o cowboy caçador de recompensas não chega nem perto de se igualar ao Homem-Morcego em notoriedade ou em qualquer outro aspecto, como também o diretor estreante dessa produção nem se compara ao experiente cineasta que elevou o gênero dos quadrinhos para as telonas a níveis nunca antes alcançados. Portanto o resultado dessa produção intitulada "Jonah Hex – O Caçador de Recompensas"(Jonah Hex, 2010), era mais do que esperado de ser um fracasso comercial e de crítica.


Com uma história focada em Jonah Hex (Josh Brolin), um pistoleiro e caçador de recompensas desfigurado, que sobreviveu depois de ser vitima de uma vingança errônea, flerta constantemente com o ocultismo após a tragédia – desenvolve uma capacidade de falar com os mortos. Dentre os vivos, sua única conexão resistente permanece com a prostituta Leila (Megan Fox). Jonah é contratado pelo governo americano para capturar Quentin Turnbull (John Malkovich), um perigoso terrorista que planeja recuperar seu poder sobre a economia americana que lhe foi tirada após a Guerra Civil Americana, e que por sinal, é o mesmo homem que marcou seu rosto com cicatrizes e suas lembranças do passado com consternação. Por mais que sua aparência estética remeta a um filme de faroeste, fãs do gênero ficarão decepcionados com essa produção, que descarta qualquer possibilidade de compará-lo a algum sucesso do gênero, devido à narrativa pouco explorada com esse foco. Trata-se de um espetáculo visual recheado de explosões e sequências de ação pouco, a nada criativas que substituem qualquer tentativa de dar profundidade a trama ou aos personagens, que até em sua premissa, se apresentam interessantes, mas não se confirmam da mesma forma ao decorrer da película.

O elenco apesar de estar composto por grandes astros e promessas de atores talentosos, que apenas se confirmaram assim em trabalhos posteriores, seus desempenhos tiveram resultados de regulares a desinteressantes. Muito pelo roteiro, repleto de diálogos constrangedores, como pelas situações clichês inúteis pelas quais os protagonistas são submetidos. Josh Brolin interpreta uma espécie de John Constantine confederado, violento e visto como uma lenda, que se apresenta pouco expressiva em sua totalidade. Enquanto a dupla de vilões, Quentin Turnbull e Burke, interpretada por John Malkovich e Michael Fassbender são muito mais atores do que podem oferecer devido as deficiências estruturais da proposta oferecida através desse longa. Por fim Megan Fox, o apelo sensual necessário dentro da trama, interpreta uma prostituta convenientemente habilidosa com armas.

 
Depois de vários trabalhos de animação onde o cineasta Jimmy Hayward teve seu envolvimento, a migração para o formato live-action não foi lá muito feliz. Sua competência que o destacou em animações no passado não trouxe a experiência necessária para conduzir uma proposta tão confusa quanto essa produção – um filme de faroeste esquecido pela enorme quantidade de cenas de ação exageradas e sequências pretensiosas de adrenalina pouco climáticas. Por fim, "Jonah Hex – O Caçador de Recompensas" pode ser um filme legal caso o espectador não alimente expectativa. Porque como seus pretensiosos realizadores, que achavam que tudo estava certo e acertado para o lançamento, eles deram com os burros na água. Tanto que no Brasil, inclusive esse filme foi lançado diretamente em DVD e Blu-ray pela decepção desencadeada no mercado americano, que a propósito, ocorreu a Guerra Civil Americana onde se passa toda a trama.

Nota: 5/10
_____________________________________________________________________________
  

8 comentários:

  1. Com certeza é um dos piores filmes que eu já vi na vida. Horrível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem... tem coisa pior, mas com certeza esse é ruim sim!

      abraço

      Excluir
  2. Eu já li algumas HQ's do personagem, eram bem interessantes.
    Eu tinha curiosidade de ver o filme por conta disso,mas pelo visto deve ser mesmo uma BOMBA. Talvez eu veja só por desencargo.. rs

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conheço a revista na íntegra, mas gostei muito das imagens que encontrei na net. Mas o filme...uhmmm!

      abraço ... e apareça mais vezes!

      Excluir
  3. BOMBA! É o tipico filme no "piloto automatico" !!! Otima crítica!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses filmes baseados em boas Graphic Novel geralmente caem na mesmice, infelizmente meu caro.

      abraço

      Excluir
  4. Sei não,mas o agente da Megan Fox,deve ser uma bomba,apesar de ser linda,a guria não acerta um filmezinho razoável...Sabe,acho que vou assistir esse filme,tipo sem esperar nadinha dele,e quando não tiver mais nada para fazer,claro!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista sim, e de um feedback de sua impressão se possivel Flavia!

      abraço e obrigado por sua visita

      Excluir