sábado, 31 de agosto de 2013

Crítica: Professora Sem Classe | Um Filme de Jake Kasdan (2011)



"Professora Sem Classe" (Bad Teacher, 2011) é uma comédia descompromissada que demonstra ser mais interessante em seu conceito (onde usa e abusa do politicamente incorreto) do que propriamente em sua realização. A ideia de fazer um respeitado profissional as avessas em teoria demonstra ser mais fascinante do que sua materialização (até rende bons momentos, mas ainda insuficientes para envolver os espectadores e arrancar boas risadas) e se mantém pulsante graças ao carisma do elenco. Em sua trama acompanhamos Elizabeth Halsey (Cameron Diaz) uma professora de ensino médio no Illinois que larga o emprego somente porque vai se casar. Obcecada por se casar com um ricaço, logo é abandonada por um, onde consequentemente estabelece uma meta absurda, em que a única forma de conseguir sucesso nessa tarefa é conseguindo seios maiores. Meses depois volta a lecionar, e faz de tudo a seu alcance para juntar o dinheiro necessário para fazer a operação de aumento. Totalmente desinteressada pelo trabalho, suas aulas são apenas exibições de filmes para que ela possa cochilar e beber. Mas para sua sorte ela consegue ver em um recém-chegado professor (Justin Timberlake) a oportunidade de realizar seu sonho, mesmo tendo em seu caminho outra professora (Lucy Punch) que demonstra ser uma rival e um grande obstáculo para conseguir o tão sonhado sucesso.  


A criação de comédias desse gênero estão cada vez mais frequentes, e com isso vem nessa onda de proliferação de sucesso em série, os exemplares mais fracos. "Professora Sem Classe" faz parte dessa categoria de lanterna (constantemente revisitada pelo ator Adam Sandler), e apenas não cai na completa mediocridade, unicamente porque o elenco funciona bem independente das situações óbvias e fracas criadas pelo roteiro. Simplista e pouco criativo, o desenvolvimento da fita se apoia mesmo nas interpretações e em alguns contornos de sensualidade depositados na personagem de Cameron Diaz. Ao mesmo tempo, o astro da música pop Justin Timberlake vai ganhando papéis de mais destaque a cada produção, lhe conferindo alguma credibilidade por seus desempenhos. Aqui ele entrega a interpretação esperada, com alguns bons momentos de tela e algumas cenas surpreendentes por serem realmente engraçadas. Todo o elenco de apoio segue uma linha produtiva parecida, como a direção de Jake Kasdan funciona de modo regular (melhor foi em "Efeito Zero"), já que tentar dar profundidade a personagens absurdos não é tarefa fácil, muito menos prioritária. A produção tem que ganhar o espectador nas piadas e situações elaboradas pelo roteiro, que busca criar simpatia pela imoral protagonista, que independente de estar errada, precisa fazer o público torcer contra os certinhos. Por fim, "Professora Sem Classe" é uma comédia que entrega um programa ligeiramente divertido e nada ortodoxo. Diverte até certo ponto, mas não se aprende nada. 

Nota:  5,5/10     
___________________________________________________________________________


6 comentários:

  1. Respostas
    1. Particularmente acho que ela nunca foi tão bela quanto em "O Máscara". Opinião minha é claro!

      abraço

      Excluir
  2. rs
    O poster do filme ficou parecendo de filme pornô. Mas passa a ideia mesmo de desleixo da personagem, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquele "Me Coma" leva a crer isso. Primeiro achei que fosse sacanagem, e fiquei com um é atras, mas depois constatei que era real do pôster. Desleixo ou não, uma imagem vale mais do que mil palavras!

      abraço

      Excluir
  3. Respostas
    1. Esse "Ah, Cameron Diaz" é unânime Déh! rsrsrsrs

      abraço

      Excluir