terça-feira, 12 de março de 2013

Crítica: 7 Dias em Havana | Um Filme de Laurent Cantet, Benicio Del Toro, Julio Medem, Gaspar Noé, Elia Suleiman, Juan Carlos Tabío e Pablo Trapero (2012)



7 Dias em Havana” (7 Días en La Habana, 2012) segue uma tendência em unir vários cineastas diferentes em estilo e nacionalidade para contar pequenas histórias em curtas-metragens interligados por uma temática ou ambiente em comum. É o que se chama de filmes coletivos. Aqui temos a cidade de Havana como pano de fundo para sete tramas diferentes que se passam no espaço de tempo de uma semana. Cada qual age de forma autônoma, contribuindo para o sucesso do conjunto. Temos o ator Benicio Del Toro dirigindo, “El Yuma” que ironiza a relação entre os norte-americanos e os cubanos; “Diário de um Principiante”, do cineasta palestino Elia Suleiman, mostra a perturbação de um viajante diante de outra cultura enquanto aguarda para falar com o próprio Fidel Castro; “Doce-Amargo” do cubano Juan Carlos Tabío acompanhamos um casal (Jorge Perugorría e Mirta Ibarra) que completa o orçamento apertado fazendo doces e onde à filha (Melvis Estevez) decidi fugir para Miami numa precária balsa; "A Tentação de Cecilia", do espanhol Julio Medem mostra o drama cubano na busca por novas oportunidades fora da ilha descrevendo as dúvidas de uma jovem seduzida por um estrangeiro europeu (Daniel Brühl); entre outras histórias.


Essa produção é coproduzida por uma marca de Rum e uma agência de publicidade, num trabalho conjunto entre Cuba, França e Espanha. Através do roteiro do famoso escritor cubano Leonardo Padura Fuentes, responsável por “Adeus, Hemingway”, os envolvidos nesse projeto dão contornos romanceados as tramas diferenciadas do autor, onde umas funcionam naturalmente melhor do que outras. Mas evidentemente todas tem sua expressividade delineada brilhantemente num olhar meio que turístico sobre o ambiente. Temas como sexo, fé e a insuperável musicalidade desse povo são elementos presentes em todos os curtas. Elementos esses que dão o tom dessa obra. Ao término de “7 Dias em Havana” pode-se constatar que nem todas as histórias contadas são acertos, evidentemente, mas demonstram ter seu valor ao apresentar Cuba diferente dos noticiários reacionários. Um lugar exótico e real, repleto de problemas de fácil entendimento global e composto por um povo animado e descontraído apesar das dificuldades sociais e políticas que os assolam há décadas.

Nota: 7/10  
___________________________________________________________________________

)

4 comentários:

  1. Filmes em episódios dirigidos por vários cineastas tendem a ser irregulares.

    Este eu ainda não assisti.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os dois últimos curtas fogem um pouco da linha, mas nada que comprometa em âmbito maior.

      abraço

      Excluir
  2. Oi,amiguinho(achei legal seu blog),visite/siga o Blog do XANDRO(retribuir o carinho)vc vai gostar,abçs!;)

    http://blogdoxandro.blogspot.com/ @XandroHQ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Xandro pela visita. Retribuirei em breve sua visita. Mais uma vez, obrigado!

      abraço

      Excluir