quinta-feira, 1 de março de 2018

Crítica: Perigo por Encomenda | Um Filme de David Koepp (2012)


Wilee (Joseph Gordon-Levitt) é um jovem que tem aversão ao modo de vida dos executivos e que trabalha (divertindo-se) ao entregar encomendas usando uma bicicleta pelas ruas de Nova York. Sua competência nessa área profissional chega a ser lendária no meio, como sua ousadia quase suicida no cumprimento de seu trabalho ao usar uma bike fixa (uma bicicleta sem freios). E essa ausência de freios na vida de Wille chamou a atenção Vanessa (Dania Ramírez), a qual mantém uma relação afetiva mal resolvida por conta disso. O que Wilee não imaginou foi que ao receber um envelope com uma preciosa encomenda, ele seria caçado por um policial corrupto chamado Bobby Monday (Michael Shannon), que vê no conteúdo do envelope a sua salvação para com suas dívidas de jogatina. Assim Wilee precisará de toda sua habilidade sobre a bicicleta para evitar que Monday não consiga sucesso em sua gananciosa atitude. “Perigo por Encomenda” (Premium Rush, 2012) é um thriller de ação e suspense difícil de ser categorizado em algum gênero. A essência do material é de natureza duvidosa, pois a soma dos elementos que a preenchem não o torna um filme de ação frenético, um thriller policial ou de uma simples comédia, apesar do humor estar bem distribuído em toda duração dessa fita. Embora tenha um pouco de tudo, nada é realmente bem realizado. Escrito e dirigido pelo irregular David Koepp (diretor de alguns poucos filmes e roteirista de dezenas de superproduções estadunidenses), o filme tem a seu favor muita atitude, dinâmica e uma boa história de ser contada por sua simplicidade, mas ao mesmo tempo carece de algo mais.

Poucas cidades do mundo tem a capacidade de dar vida e os contornos corretos para alguns enredos. A cidade de Nova York é sem dúvida nenhuma a mais capaz de todas as metrópoles do mundo para materializar certos projetos cinematográficos, pois proporciona à ambientação perfeita as mais simples das premissas ou o charme certo a mais complexa das tramas. Para o projeto de Koepp, a cidade de Nova York foi uma escolha mais do que certeira. Aos saudosos apreciadores de fitas como “Quicksilver” ou “American Flyers”, Perigo por Encomenda” é um prato cheio. De uma dinâmica arrojada que como o próprio diretor mencionou: Perigo por Encomenda” é uma espécie de “Velozes e Furiosos” que é realizado com bicicletas; o filme tem o seu brilho alavancado pelas locações bem enquadradas pela câmera e pela direção de fotografia transparente. Narrativa inicialmente fragmentada, montagem inteligente, frases de efeito, grandes atores compondo o elenco e um ritmo acelerado que possivelmente deixará o espectador menos atento, um pouco confuso, o filme se engrandece por questões técnicas e elaborativas. Se a rasa trama criada pelo diretor David Koepp em parceria com John Kamps não se destaca, ou não nos trás nada de realmente novo, o mesmo não se pode dizer da intensidade das poucas sequências de ação que habitam sua proposta de entretenimento ou do desempenho do elenco principal que cumpre seu papel dentro da medida e das pretensões desse projeto. Principalmente no desfecho onde o protagonista dá uma de Danny MacAskill sobre uma bike de Downhill (uma sequência inesperada). O ator Joseph Gordon-Levitt inclusive sofreu um acidente real durante as filmagens, que se pode acompanhar a certa altura dos créditos finais que demonstra o quanto é difícil realizar um projeto desse formato em uma cidade estruturalmente complexa para ciclistas que dividem apertadamente as ruas com pedestres e automóveis.

Assim sendo, “Perigo por Encomenda” é um bom filme de entretenimento, bem realizado e tecnicamente competente e que mesmo não tendo uma trama dotada da mesma genialidade de outros trabalhos de roteiro de Koepp, que até poderia ter dado mais gás a essa corrida de gato e rato travada pelo excelente ator Michael Shannon e pelo ator Joseph Gordon-Levitt, o filme tem o seu charme intensificado pelas locações majestosas da grande maça. No fim, “Perigo por Encomenda” se torna um bom programa para quem gosta ou não de pedalar. Mas não esqueça: as cenas e sequências de perseguição apresentadas nessa fita são realizadas por profissionais treinados.

Nota: 7/10
_______________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário