segunda-feira, 12 de março de 2018

Crítica: Águas Rasas | Um Filme de JaumeCollet-Serra (2016)


Nancy Adams (Blake Lively) é uma jovem estudante de medicina que viaja com a ajuda de um morador local para uma paradisíaca praia isolada do México para surfar e refletir sobre a morte da mãe. Essa praia é a mesma que sua mãe esteve quando estava grávida dela. Mas a jovem acaba sendo atacada de surpresa por um enorme tubarão-branco e com ferimentos do ataque, ela apenas consegue refúgio em um recife de corais. Mas em uma luta contra o tempo, com a maré subindo e cercada pelo animal faminto, Nancy precisa de uma forma de sair da água antes que seja tarde. "Águas Rasas" (The Shallows,  2016) é uma produção estadunidense de drama, suspense e terror escrita por Anthony Jaswinski e dirigida pelo diretor espanhol Jaume Collet-Serra. Talentoso na criação de atmosferas tensas para seus filmes, Jaume Collet-Serra enfileira filmes surpreendentes com uma frequente parceria que tem feito com o talentoso ator Liam Nesson ("Desconhecido" de 2011; "Sem Escalas" de 2014; "Noite Sem Fim" de 2015 e "O Passageiro" de 2018), embora seu maior hit ainda seja "A Orfã" de 2009. Em "Águas Rasas" o diretor apenas aplica tudo que sabidamente é capaz de fazer e confecciona um bom filme de tubarão.


Sem querer ser mais do que é ou se prolongar mais do que é necessário, "Águas Rasas" tem a proporção e a forma de um produto que agrada muita gente. Em resumo: um filme de tubarão sem excentricidades cinematográficas e repleto de situações tensas que prendem a atenção do público. Ainda que não seja capaz de superar uma obra setentista como a Spielberg, também não faz feio como inúmeras outras que surgiram posteriormente com pretensões mais grandiosas. Conduzido com o estilo pessoal do diretor, montado de modo dinâmico e que aproveita bem a belíssima locação, Collet-Serra monta um thriller de suspense repleto de boas passagens onde a tensão e as expectativas dos espectadores são capazes de subir com a maré. Brilhantemente protagonizado pela atriz Blake Lively, bastante conhecida por seu trabalho na série "Gossip Girl", aqui ela surpreende ao conseguir segurar a atenção do espectador por seu desempenho com tão pouca história. Rendendo nas bilheterias cerca de sete vezes o valor de seu orçamento, Collet-Serra cria um exemplar de filmes de tubarão que concilia rentabilidade e competência no mesmo produto.

Por isso, "Águas Rasas" é uma sugestão boa de passar o tempo para quem gosta de uma boa história de luta pela sobrevivência temperada com cenas de tensão e medo. Longe de ser memorável, mas interessante de ser conferido.

Nota:  7/10 
_________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário