segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Crítica: Rápida Vingança | Um Filme de George Tillman Jr. (2010)


Após James Cullen/Driver (Dwayne “The Rock” Johnson) sair da prisão depois de cumprir uma pena de 10 anos, seu único objetivo em vida é caçar aqueles que o traíram após um assalto e também mataram o seu irmão nessa traição. Traído, seus comparsas o alvejaram com um tiro na cabeça e o deixaram a mercê da própria sorte. Entretanto, milagrosamente Cullen sobrevive e passa anos atrás das grades arquitetando um plano de vingança sobre aqueles que participaram no golpe. Mas nessa jornada de vingança ele encontra alguns obstáculos, seja no fato de desconhecer a verdadeira identidade do autor dessa traição ou na figura de um egocêntrico matador de aluguel contratado para rastreá-lo e impedir a conclusão de seu plano de vingança. “Rápida Vingança” (Faster, 2010) é um longa-metragem de ação dramática estrelado por Dwayne Johnson, Billy Bob Thornton, Oliver Jackson-Cohen, Carla Gugino e Maggie Grace. Escrito pelos irmãos Joe e Tony Gayton (Operação Fronteira, 2007) e dirigido por George Tillman Jr. (Notorious, 2009), essa produção é amparada por muita violência (sendo o primeiro filme com censura de 17 anos estrelado por Dwayne Johnson) em um tema clássico do cinema e a muito desgastado: a vingança. Partindo do principio do “Olho por olho, dente por dente”, Dwayne Johnson traz a tona a figura do anti-herói que não mede esforços para cumprir sua missão de vingança numa trama policial sem grandes novidades, embora com algum charme e ligeiramente divertida.


Rápida Vingança” oscila entre a crueza da ação violenta e uma forte estética comercial típica dos filmes estrelados pelo astro “The Rock”. Se por um lado essa produção apresenta um olhar curioso sobre alguns aspectos dramáticos do gênero policial (sobre a ressocialização de criminosos, obstáculos da vida familiar de policiais como a de Billy Bob Thornton e a linha tênue entre criminoso e herói), pelo outro lado, não passa de uma típica produção cinematográfica clichê de cujo comercial (a presença de um assassino profissional repleto de excentricidades materializado por Oliver Jackson-Cohen é prova disso). Embora a soma de todos os aspectos seja até certa altura bem equilibrada, onde Dwayne “The Rock” Johnson entrega um interpretação curiosamente bem sucedida (muito se deve a atmosfera divagante criada por seu realizador) fazendo frente a outros grandes talentos da interpretação que compõem o elenco principal, o filme não apresenta nada de surpreendente em sua totalidade, mas consegue entreter com um bom nível de sucesso. “Rápida Vingança” não oferece ameaça há outros exemplares do gênero ao qual habita, como também não traz um olhar nada original ao tema que serve de alicerce para trama criada pelos irmãos Gayton, mas apresenta boas passagens de ação e violência crua, personagens interessantes e interpretações louváveis em um produto de foco claramente comercial resultante de uma direção dinâmica. Um sólido entretenimento escapista derivado de um gênero movediço.

Nota: 7/10
_________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário