terça-feira, 8 de agosto de 2017

Crítica: Nos Limites da Lei | Um Filme de Baran Bo Odar (2017)


Em Las Vegas, dois policiais corruptos, Vincent Downs (Jamie Foxx) e Sean Cass (Tip “T.I. Harris) roubam de alguns criminosos uma carga milionária de drogas que sem saber, pertencia a uma perigosa família de mafiosos. Algum tempo depois que foram descobertos pela autoria do roubo, o chefe do cassino Rubino (Dermot Mulroney) que estava negociando as drogas, então sequestra o filho de Downs para trocar pelas drogas e devolver ao legitimo dono, Rob Novak (Scott McNairy) um perigoso traficante. Porém no encalço de Downs, ainda está a oficial dos assuntos internos, a agente Bryant (Michelle Monaghan) que segue Downs até o cassino e interfere na troca com a intenção de prender todos os envolvidos nessa gigantesca transação de drogas. “Nos Limites da Lei” (Sleepless, 2017) é um thriller policial dirigido por Baran Bo Odar (responsável pelo filme “Invasores: Nenhum Sistema Está a Salvo”, de 2014). Sem uma história forte, um herói cativante e um roteiro bem trabalhado, a estreia da direção de Baran Bo Odar em território americano se mostra nada bem aos apreciadores de bom filme do gênero.

Nos Limites da Lei” peca muito e não convence. Embora Jamie Foxx e Michelle Monaghan sejam atores de talento e reputação reconhecida por trabalhos realizados no passado, suas performances nessa derradeira produção são bastante perturbadoras pelos inúmeros erros decorrentes de um roteiro confuso, clichê e insensato. Enquanto Monaghan em seu papel batido ignora sem explicações o manual de procedimentos de um agente de seu nível, provavelmente ciente das consequências de como uma ação impensada pode repercutir de forma negativa no futuro, Foxx se esforça para dar credibilidade ao seu personagem repleto de falhas. A tarefa de um policial corrupto e ganancioso se tornar herói, apenas pelo fato de que seu filho foi atingido como consequência de suas ações criminais, o desejo de redimir o personagem com o espectador não é uma tarefa fácil. Embora Foxx até se saia bem diante da pobreza de ideias do roteiro, dado por sua presença de tela cativante, ainda assim o ferimento adquirido através de uma facada entre as costelas do ator não doeram tanto nele ao longo do filme quanto aos sentidos do espectador que é capaz de notar que melhorava de acordo com o andamento da trama. Entre poucas ideias boas e alguns absurdos, o diretor consegue imprimir um ritmo instigante a produção, que alterna a construção de boas cenas e uma narrativa arrojada aos desdobramentos da ação que toma a tela.

Nos Limites da Lei” tem os seus momentos cativantes, onde ganha alguns pontos por sua ação bem orquestrada e algumas cenas razoáveis, mas no geral lhe falta uma série de atrativos realmente válidos para esse filme se tornar uma boa indicação de programa de entretenimento. Curiosamente o desfecho ainda sutilmente sugere a intenção de fazer um gancho para uma possível sequência.

Nota:  6/10
________________________________________________________________________

2 comentários:

  1. Aiii eu quero muito assistir Marcelooo rsrsrsrs

    Beijinhosss ;*
    Blog Resenhas da Pâm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fica por sua conta e risco Pamela. Eu não gostei muito.

      bjus

      Excluir