sexta-feira, 15 de março de 2013

Crítica: Relação Explosiva | Um Filme de David Palmer & Dax Shepard (2012)


Charlie Bronson (Dax Shepard) é um homem redimido de seus crimes. Foi um ex-piloto de fuga em assaltos a banco e agora tem uma nova identidade graças ao programa de proteção à testemunhas, o qual lhe concedeu a liberdade mediante cooperação. Ao ajudar sua namorada Annie (Kristen Bell) põe sua liberdade em risco ao violar suas limitações: Charlie precisa levar Annie, que não faz ideia de seu passado, para uma entrevista de emprego em Los Angeles. Porém, no caminho para a cidade, alguns antigos parceiros de crime como Alex Dimitri (Bradley Cooper) e sua ex-namorada passam a caçá-lo, além da polícia. Infelizmente, esse longa chamado "Relação Explosiva" (Hit and Run, 2012) escrito, dirigido e protagonizado por  Dax Shepard, por mais interessante que possa ser à primeira vista, se perde em um emaranhado de clichês e ideias vazias que somente servem para prolongar a duração dessa produção. Diálogos intelectualóides que tomam tempo, e não levam o espectador a lugar nenhum é um dos elementos que fazem desse longa algo cansativo e pouco enfático. Tem as suas qualidades, contudo, não suprem as deficiências em seu todo.  



Para começar, o grande nome dessa produção apesar de coadjuvante, ainda é Bradley Cooper. Shepard até tem carisma, mas não o suficiente para bater de frente com o astro que é  bem conhecido por filmes e franquias de sucesso. Na direção é uma incógnita.  Apesar de todo o elenco ter suas passagens de humor na trama, em sua maioria banais, a presença de Tom Arnold se mostra mais do que forçada e por várias vezes desnecessária, enquanto Kristen Bell perde pontos, mas por causa do roteiro que não ajuda muito. E se a trama em sua primeira parte se mostra entediante, e muito clichê, na segunda deslancha em perseguições e tiroteios pouco ou nada emocionantes. Mesmo os carrões que desfilam na película não salvam as cenas de perseguição que em sua maior parte são exibicionistas. E o desfecho: bagunçado e nada climático, para não dizer ridículo e que não justifica o título nacional que lhe foi dado. Após a certeza de que o título "Fuga Alucinante" já havia sido usado antes, "Relação Explosiva" foi o resultado do improviso que a distribuidora conseguiu encachar na falta de algo melhor. Em resumo, "Relação Explosiva" é feito para ser entretenimento fácil, descompromissado e divertido.  No fim, tornou-se apenas descompromissado. 

Nota: 5/10

Nenhum comentário:

Postar um comentário