quarta-feira, 13 de março de 2013

Crítica: Hooligans | Um Filme de Lexi Alexander (2005)


Eu já era um admirador do trabalho do ator americano Elijah Wood muito antes dele protagonizar a franquia "Senhor dos Anéis", de Peter Jackson. Em especial, na sua participação na produção de sci-fi estudantil "Prova Final" (1998), realizada pelo cineasta Robert Rodrigues, com o qual trabalhou posteriormente em "Sin City - A Cidade do Pecado". Em "Hooligans" (Green Street Hooligans, 2005) podemos acompanhar seu melhor desempenho depois do gigante sucesso de sua difícil jornada pela Terra Média. Enquanto nessa franquia o ator somente fugia e corria em meio a efeitos visuais de encher os olhos criados pelo mago das imagens Jackson, em "Holligans" ele nos presenteia com uma interpretação a altura de um clássico do futebol. Na história dessa produção somos apresentados aos bastidores do universo hooligan do futebol inglês, ao acompanhar a trajetória de Matt Bruckner (Elijah Wood), após ser injustamente expulso da Universidade de Harvard por porte de drogas. Com a intenção de deixar a poeira baixar após o acontecido, decide viajar para a casa da irmã, Shannon (Claire Forlani) em Londres. Morando de favor com a irmã, acaba fazendo amizade com Peter Dunham (Charlie Hunnam),  que o apresenta ao submundo dos hooligans da facção do West Ham United da Inglaterra. Nesse ambiente contemporâneo e inóspito, Matt passará por um processo de transformação humana que jamais imaginou que o futebol poderia lhe proporcionar. 



Trata-se de uma fita roteirizada por Deborah Del Prete, Gigi Pritzker e Donald Zuckerman, com eventos ficcionais, porém de fácil contextualização em um ambiente verídico  a qualquer um que acompanhe com atenção noticiários sobre esse grupo radical de torcedores. Porém, o roteiro não é apenas centrado nesses conturbados acontecimentos, em sua maioria violentos, que essas torcidas protagonizam marginalmente. Temos  personagens fascinantes por trás desses gladiadores modernos, que aos leigos sobre o assunto, podem ficar espantados tamanha a lógica humana sobre as motivações desses personagens, pecando apenas em desenvolver sugestivamente justificativas para suas atitudes. Elijah Wood, vê seu mundo transformado através do contato com os bastidores desse universo esportivo até então desconhecido para ele, aprendendo o que é o tal verdadeiro football, como a verdadeira amizade que esse esporte pode criar entre os torcedores. O filme é rico em detalhes para a climatização da trama, tendo imagens de pequenos lances de jogos em estádios ingleses com jogadores conhecidos. Tem a brutalidade e a violência necessária para compor uma ambientação fiel sem ser gratuita. A trilha sonora acentua os melhores momentos do filme, deixando claro que estreante Lexi Alexander tem um bom conhecimento técnico para traduzir musicalmente uma temática que por aqui se resumiria a uma roda de samba, e pronto. As transformações em volta do elenco principal são bem conduzidas e emocionantes, apesar do desfecho entre torcidas ser óbvio demais. Em resumo, "Holligans" tem algumas falhas, mas observando com atenção os melhores momentos, fica a sensação, como se fosse um jogo de futebol onde seu time ganhou a partida, que foi-se uma hora e meia de seu tempo bem gasta apesar do resultado modesto. 

Nota: 7/10

_____________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário