terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Crítica: Perigo por Encomenda | Um Filme de David Koepp (2012)



Poucas cidades do mundo tem a capacidade de dar vida e os contornos certos para algumas tramas. E a cidade de Nova York é sem dúvida nenhuma a mais capaz de todas as metrópoles do globo para materializar certos projetos cinematográficos, ao proporcionar à ambientação perfeita a mais simples das premissas ou o charme estrutural a mais complexa das tramas. Veja como exemplo disso a fita de “Eu sou a Lenda”, estrelado por Will Smith. Se tivesse sido rodado na cidade de Los Angeles não seria a mesma coisa nem de longe. Pois Nova York, deserta é um delírio visual que é um espetáculo a parte além do inimaginável, o que em primeira mão, somente enriqueceu a narrativa e energizou os holofotes sobre a produção. Entretanto, o que não quer dizer também que em sua condição real essa cidade se torne menos fascinante. E “Perigo por Encomenda” (Premium Rush, 2012), uma produção de difícil categorização, prova isso ao acompanharmos esse frenético longa realizado pelo irregular cineasta David Koepp, que alia uma premissa ligeiramente simples em algo de resultado cativante. Na história acompanhamos Wilee (Joseph Gordon-Levitt), um jovem que tem aversão ao modo de vida dos executivos, e que trabalha (divertindo-se) entregando encomendas usando uma bicicleta pelas ruas de Nova York. Sua competência nessa área profissional chega a ser lendária no meio, como sua ousadia quase suicida no cumprimento de seu trabalho – sua bicicleta não tem freio. E essa ausência de freios na vida de Wille chamou a atenção Vanessa (Dania Ramírez), a qual mantém uma relação afetiva mal resolvida por conta disso. O que Wilee não imaginou foi que ao receber um envelope com uma encomenda que precisa ser entregue por ele, seria caçado pelo policial corrupto Bobby Monday (Michael Shannon), onde Wilee precisará de toda sua habilidade sobre a bicicleta para evitar que Monday não consiga por as mãos no envelope.

Aos saudosos apreciadores de fitas como “Quicksilver” ou “American Flyers”, esse longa é o preenchimento de uma enorme lacuna nesse gênero indefinido. Não se trata necessariamente de um filme de ação, um thriller policial ou de uma comédia, apesar do humor estar bem distribuído em toda duração dessa fita. Com uma dinâmica arrojada que como o próprio diretor mencionou, “Perigo por Encomenda” é uma espécie de “Velozes e Furiosos” realizado com bicicletas em uma narrativa inicialmente fragmentada em um ritmo acelerado que possivelmente deixará o espectador menos atento, um pouco confuso, mas que ganha certo esclarecimento assim que todos os personagens já estiverem sido apresentados. Se a pobre trama criada pelo diretor David Koepp e John Kamps não se destaca, o não nos trás nada novo, o mesmo não se pode dizer da intensidade das sequências de ação que monopolizam sua narrativa de entretenimento, ou do desempenho do elenco que cumpre seu papel dentro da medida e das pretensões desse projeto. Principalmente no desfecho onde o protagonista dá uma de Danny MacAskill sobre uma bike de Downhill. O ator Joseph Gordon-Levitt inclusive sofreu um acidente real durante as filmagens, que se pode acompanhar a certa altura dos créditos finais, demonstrando o quanto é difícil realizar um projeto desse formato em uma cidade, que mesmo retratada com uma genial direção de fotografia, estruturalmente complexa. 

Perigo por Encomenda” é um bom filme de entretenimento, bem realizado e tecnicamente intrigante, e que ainda não tendo uma trama complexa para dar mais gás a essa corrida de gato e rato, tem o seu charme como um bom programa para quem gosta de pedalar. Mas não esqueça: as cenas e sequências de perseguição apresentadas nessa fita são realizadas por profissionais treinados. Não tentem em casa. 

Nota: 7/10
____________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário