segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Crítica: O Homem que Mudou o Jogo | Um Filme Bennett Miller (2011)



"O Homem que Mudou o Jogo(Moneyball, 2011) é uma retratação sobre a ciência por trás do beisebol, entre outras coisas. Felizmente não somente sobre o jogo – que por aqui é um mistério feito o futebol americano. Ainda bem que o filme dá destaque a muitas outras coisas, além do esporte. O jogo em si, é somente um dos elementos de uma trama sobre auto superação e reinvenção de métodos arcaicos para escolha de jogadores em potencial. Até então as melhores contratações eram abocanhadas pelos grandes times, que tinham a sua disposição grana para disputar o campeonato de forma competitiva.  

Essa produção é baseada na história real de Billy Beane (Brad Pitt), gerente de um time de beisebol, o Oakland As (um time distante dos líderes da primeira divisão) quando revolucionou a forma de contratar jogadores, utilizando os diversos conhecimentos estatísticos aplicados por Peter Brand (Jonah Hill) ao esporte. O Oakland As, devido ao baixo valor de caixa, passou a comprar o passe de jogadores desacreditados, mas promissores, que aliam custo/benefício, montando um baita time/elenco. E assim, mesmo com toda pressão da mídia, obstáculos pessoais dos atletas, o jogo de intrigas dos bastidores do poder sobre o Oakland, a perseverança e obstinação de Billy para ganhar o campeonato são vistos revolucionários até hoje.


Por mais que o grande nome da produção seja o de Brad Pitt (em uma de suas melhores performances como que há muito tempo não se via) a interpretação de Jonah Hill, cujo nome estava sempre associado a comédias despretensiosas, é um destaque a parte nessa produção. Com seu jeito tímido, com ares de nerd, demonstrou sua importância dentro da história, inclusive roubando a cena de atores consagrados com Philip Seymour Hoffman, que fez o papel de técnico contrariado do Oakland. A coragem do protagonista de modificar o que era visto como certo (valorizando os jogadores por seus resultados e não pela sua fama) pode não ter consagrado seu time como planejado, mas outros grandes times do beisebol que adotaram sua logística na contratação e desenvolvimento da equipe conseguiram – graças à persistência de Billy quando não cedeu a pressão posta sobre ele no início do campeonato. Dentre suas conquistas reais, ficou o recorde de vitórias consecutivas por partida.  

No filme "O Homem que Mudou o Jogo", mesmo com a trama girando em volta do esporte, não se prende necessariamente a ele, deixando os sentimentos tempestuosos dos envolvidos em primeiro plano. O diretor Bennett Miller criou um filme, cujo título, que mesmo não fazendo jus ao seu desempenho, em razão a sua narrativa clássica em contar a história, transpõe um filme familiar e competente, com ares de inovação que vai agradar até mesmo que não entende de beisebol.

Nota: 7,5/10
____________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário